sexta-feira, 4 de outubro de 2013

Vencendo o Tédio

O tédio é uma doença ou um estado de alma muito antigo. O tédio é uma combinação de cansaço, apatia, desânimo e desinteresse, que leva uma pessoa a não ter vontade de fazer nada. O escritor português Fernando Pessoa disse: “Não é o tédio a doença do aborrecimento de nada ter que fazer, mas a doença maior de se sentir que não vale a pena fazer nada”. O tédio é quando alguém se sente aborrecido, desgostoso e desiludido com a vida e consigo mesmo. 


Jean P. Sartre disse: “Se você sente tédio quando está sozinho é porque está em péssima companhia”. Miguel Unamuno falou: “Quase todos os homens vivem inconscientemente no tédio. O tédio é o fundo da vida, foi o tédio que inventou os jogos, as distrações, os romances e o amor”.
É impressionante observar como as pessoas estão entediadas com a vida hoje. Mas quais são as causas do tédio? Para os existencialistas a causa do tédio é a própria a vida. Viver é entediar-se. Mas, sabemos que o tédio da geração atual tem quatro causas principais: excesso de estímulos ou superestimulação, rotina ou hábitos do dia a dia, superficialidade nos compromissos e egoísmo excessivo.
O autor do livro de Eclesiastes faz a pergunta: “Vale a pena viver?”. Na perspectiva do pessimismo humano, “debaixo do sol”, tudo é uma mesmice, tudo é velho e tudo é incompreensível(Ec 1.1-18). Sendo assim, a vida não vale a pena ser vivida. Warren Wiersbe, no seu comentário de Eclesiastes, declara e discute o problema, a partir dessa premissa: Não vale a pena viver! Considere a monotonia da vida, a vaidade da sabedoria, a futilidade da riqueza e a certeza da morte (Ec 1-10). Mas, ele resolve o problema do tédio da vida com três propostas: (1) Viva pela fé (Ec 11.1-6). (2) Goze a vida agora (Ec 11.7-12.8). (3) Prepare-se para o julgamento divino (Ec 12.9-14). A vida é uma aventura: viva pela fé. A vida é uma dádiva de Deus: desfrute-a. A vida é uma escola: aprenda as suas lições. A vida é um exercício de mordomia: tema ao Senhor e o obedeça.
Salomão nos oferece uma pequena receita que pode mudar a nossa vida e ajudar-nos a vencer o tédio: Tudo quanto te vier à mão para fazer, faze-o conforme as tuas forças, porque no além, para onde tu vais, não há obra, nem projetos, nem conhecimento, nem sabedoria alguma (Ec 9.10). Três lições são ensinadas:
Primeira lição: faça o que te vier à mão

Tudo quanto te vier a mão significa “aproveite as oportunidades”. Sempre haverá algo para você fazer. Deus cria oportunidades para cada pessoa nesta vida. Pare de ficar filosofando e teorizando e faça o que precisa ser feito. Spurgeon disse: “Uma boa ação vale mais do que mil teorias brilhantes”. Cada cristão precisa colocar em prática a teoria bíblica sobre as boas obras: Pois somos feitura dele, criados em Cristo Jesus para boas obras, as quais Deus de antemão preparou para que andássemos nelas (Ef 2.10). A melhor maneira de curar o tédio é ajudando os outros. Expulse o tédio da sua vida servindo as pessoas que precisam.
  • · Segunda-lição: faça o que te vier à mão com coração.
Salomão diz: Tudo quanto te vier à mão para fazer, faze-o conforme as tuas forças. Devemos fazer tudo com 100% de compromisso. Fazer com amor, pois todo serviço é nobre se for feito para a glória de Deus. Ponha o coração naquilo que você for realizar.
Paulo recomenda: E tudo o que fizerdes, seja em palavra, seja em ação, fazei-o em nome do Senhor Jesus, dando por ele graças a Deus Pai (Cl 3.17). Em tudo que você for realizar faça com todo o coração, faça para o Senhor e faça com gratidão a Deus.
  • · Terceira lição: faça o que te vier a mão, com coração, porque a vida é breve.
Salomão diz: Tudo quanto te vier à mão para fazer, faze-o conforme as tuas forças, porque no além, para onde tu vais, não há obra, nem projetos, nem conhecimento, nem sabedoria alguma. Faça logo e faça bem feito, porque você vai morrer em breve. A vida não é um ensaio, mas um palco onde o enredo da nossa vida está acontecendo.
Pare de reclamar sem razão e curta a vida, pois cada dia que passa nos aproximamos do dia da nossa morte. Um pastor recomendou às suas ovelhas, que cada uma delas deveria, uma vez por ano, visitar uma maternidade e um cemitério. O objetivo era conscientizá-los da realidade da vida.
Autor: Arival Dias Casimiro
Fonte: Igreja Presbiteriana de Pinheiros 

Nenhum comentário:

Postar um comentário